Saiba como aproveitar os primeiros dias com o gato

Muitos já ouviram falar que os gatos são animais independentes que apreciam passar o tempo sozinhos. Nessa mesma linha, também é comum que muitos destaquem a esperteza deles, afirmando que os bichanos aprendem instintivamente a fazer xixi no lugar certo.

Olhando assim, pode parecer que os primeiros dias com o gato podem ser usados apenas com brincadeiras ou afagos. No entanto, há muito o que fazer a fim de garantir os cuidados adequados e um ambiente adaptado às necessidades da espécie. Até porque não é verdade que os gatos não sentem falta dos tutores e que sabem fazer tudo por conta própria.

Preparando-se para a chegada dos bichanos

O primeiro cuidado antes de levar um gato para casa é garantir a segurança dele, colocando redes de proteção em janelas, varandas ou muros (para quem mora em casa). Isso ajuda a evitar fugas, assim como as quedas, que podem ser fatais.

Haja vista que os gatos são uma espécie muito diferente e relativamente mais selvagem que os cães, conhecer suas necessidades e peculiaridades é fundamental para promover o bem-estar deles através do enriquecimento ambiental, diminuindo o risco de estresse crônico que, por sua vez, pode afetar sua saúde física, além da emocional.

A fim de conhecer a fundo as características comportamentais dos bichanos, busque uma consultoria especializada antes mesmo da chegada do felino. Com duração média de uma a duas horas, a sessão servirá para que o especialista conheça sua rotina, passando dicas essenciais sobre quais são os recursos necessários, onde colocar cada um deles, como estimular comportamentos da sequência comportamental de caça, entre outras.

Lista de compras: o que não pode faltar no enxoval do seu bichano

Ao contrário dos cães, que podem aproveitar alguns momentos do dia fora de casa com os passeios, os gatos passam 100% do seu tempo em ambiente indoor, visto que não é recomendado permitir o acesso deles à rua.

Com isso em mente, fica ainda mais evidente a necessidade de garantir um ambiente rico para eles, o que começa com a aquisição dos seguintes recursos essenciais:

  • bandeja sanitária espaçosa;
  • bebedouro (fonte e tradicional);
  • comedouro (tradicional e do tipo brinquedo);
  • tocas;
  • arranhadores;
  • brinquedos que simulem uma presa;
  • brinquedos que estimulam comportamentos de caça.

É importante destacar que estes recursos não devem ficar agrupados em um cantinho da casa, como na lavanderia. Eles devem ser descentralizados e distribuídos pela casa.

Para entender melhor como escolher e usar cada um desses recursos, confira o conteúdo especial que preparamos sobre o tema.

Aproveitando os primeiros dias com o gato

Pode brincar e dar carinho ao recém-chegado? Com certeza! Porém, é fundamental aproveitar esses dois ou quatro dias para ajudar o bichano a se adaptar ao ambiente e à rotina da família. A seguir, confira algumas dicas de como fazer isso:

  • Aproveite o primeiro dia de licença para levar o pet para uma consulta com o médico-veterinário. Fazer isso é essencial para conhecer o estado de saúde do bichano, identificando possíveis problemas como FIV e FeLV felinas.
  • Com todos os recursos adquiridos e descentralizados pela casa, observe a maneira como o pet interage com cada um deles. Especialmente no caso dos acessórios que serão deixados à disposição do gato na sua ausência, é importante certificar-se de que ele vai interagir com eles de maneira segura.
  • Não é verdade que os gatos não sentem a falta do tutor e que, portanto, não precisam ser habituados a ficar um tempo sozinhos desde os primeiros dias. Nesse sentido, procure brincar e interagir com os gatos preferencialmente nos momentos em que você estará em casa na rotina habitual, o que geralmente ocorre no início da manhã e no fim da tarde. O legal no caso dos gatos é que esses são justamente os horários em que eles são mais ativos. Assim, podem aproveitar a tarde para tirar uma soneca. Lembre-se de que mudanças bruscas na rotina são prejudiciais ao gato.

Finalmente, quem nunca conviveu com um bichano acaba esquecendo que esses pets conseguem e gostam muito de subir em móveis. Por isso, fique atento ao que você deixa sobre mesas, estantes, etc. Remédios, alguns tipos de planta e outros itens perigosos devem ser colocados em locais inacessíveis, a fim de aumentar a segurança do gato.

Agradecimentos: Colaboraram para a produção da matéria Dalton Ishikawa, médico-veterinário comportamentalista e fundador da Pet Games e Juliana Damasceno, doutora em Psicobiologia e fundadora da WellFelis Bem-Estar e Comportamento Felino.

Medicina Preventiva
Manter seu pet sempre limpinho é um dos pontos importantes...
Ler sobre...
Alimentação
Quem deseja uma saúde de ferro para seu amigo de quatro patas preci...
Ler sobre...